Capitania do Spirito Santo (1631)
26/09/2017
Do Cabo de S. Tomé às Ilhas de Goropary (1640)
28/09/2017
 
[quads id="1"]
 
 

Este mapa encontra-se no Estado do Brasil coligido das mais sertas noticias q[ue] pode aivntar dõ Ieronimo de Ataide. Por Ioão Teixeira Albernas, cosmographo de Sya Ma[gest]ade. Anno: 1631., cuja autoria é de João Teixeira Albernaz. Ele é acompanhado de mais dois mapas do Espírito Santo. A obra está na mapoteca do Ministério das Relações Exteriores, no Rio de Janeiro.

Em 1631, os padrões de cores também são diferentes em relação às obras anteriores. Albernaz aposta em bordas esverdeadas em seus primeiros mapas: no mapa de 1616 as margens dos rios são cercadas de árvores, que tem um estilo próprio: um tronco alto e galhos e folhas em um formato circular; em 1626 boa parte da terra é esverdeada e as árvores já se espalham pelo continente em pequenos aglomerados; em 1627, as coisas são diferentes, pois as árvores já são em menor número, e o terreno assume uma cor marrom com detalhes verdes apenas. A obra de 1631 tem ainda outro estilo. Terra marrom, rios mais espalhados e intrincados no continente, as árvores são em menor número do que antes.

O mapa que vai da ilha de Vitória ao rio “Macuripe” apresenta a região do Espírito Santo, inclusive sua sede, apesar de aparecer com o título de Capitania de Porto Seguro. O título do mapa vai ao encontro dos anteriores, onde a representação do mesmo exato território era acompanhada de descrições, como já aqui mostrei, ao descrever a Capitania do Espírito Santo. E aqui é a primeira vez que aparece no próprio terreno, um texto a indicar na altura do rio Doce: “Aqui começa a Capitania de Porto Seguro”.

O conteúdo dos mapas, em geral, não varia muito do que Albernaz, o Velho já havia feito em obras anteriores. Além das diferenças na coloração, é perceptível o maior cuidado com o formato da ilha de Vitória, agora muito mais próximo ao real. Há uma preocupação maior em indicar o traçado completo dos rios que desaguam naquele litoral, apesar de terem muitos traços de imaginação do autor – e consequente falta de conhecimento do interior, pois no próprio mapa os rios desaparecem nos morros ao horizonte. Ao norte, os rios Guaxinduba[1] e Macuripe desaparecem atrás do cartucho e não são continuados.

Os topônimos presentes no mapa são:

  1. Morro de yoão moreno
  2. Barra do sprito Santo
  3. Villa
  4. Ponta do Tubaraõ
  5. rio das barreiras
  6. Aldea dos Reis magos
  7. Reis magos
  8. Riacho
  9. Ponta do rio doçe
  10. rio doçe
  11. Aqui Começa a Capitania de Porto Seguro
  12. rio guassici
  13. rio Guassisi Miry
  14. rio Vna
  15. SERRA DAS ESMERALDAS
  16. LAGOA
  17. rio Cricârê
  18. rio guaxinduba
  19. rio Macuripe

Nesta obra, este mapa é acompanhado de mais dois mapas do Espírito Santo, como pode ser visto abaixo. Clique para acessar informações de cada um:

 
 

Informações

Capitania de Porto Seguro – [Escala ca 1:300 000]. – [Ca 1631]. – 1 mapa em 1 bifólio : ms., color., papel ; 44,5x67,5cm. In: Estado do Brasil coligido das mais sertas noticias q[ue] pode aivntar dõ Ieronimo de Ataide. Por Ioão Teixeira Albernas, cosmographo de Sya Ma[gest]ade. Anno: 1631. – 1631. – Cart. 16. - João Teixeira Albernaz, o Velho. - Pert.: Ministério das Relações Exteriores, Rio de Janeiro.
[1] Guaxinbuba vem de “gûasunĩ - guaxinim, animal carnívoro procionídeo + tyba: ajuntamento de guaxinins”. Navarro, 2013, p. 564.

Analisado em: As representações cartográficas da Capitania do Espírito Santo no século XVII, de Fabio Paiva Reis.
Ministério das Relações Exteriores, Rio de Janeiro.
Não está disponível online.
 
 
[quads id="2"]
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>