20/12/1714: Carta do Marquês de Angeja, vice-rei e capitão geral do Brasil, informando a Vossa Majestade que convém nomear governador de experiência militar para a capitania do Espírito Santo

12/10/1714: Provisão da serventia do ofício de Escrivão dos Órfãos da Capitania do Espírito Santo, provido em Valério da Rocha Banhos
12/06/2016
04/05/1715: Provisão da serventia do ofício de Almoxarife da Fazenda Real da Capitania do Espírito Santo, provido em Eusébio da Costa
12/06/2016
Exibir tudo

20/12/1714: Carta do Marquês de Angeja, vice-rei e capitão geral do Brasil, informando a Vossa Majestade que convém nomear governador de experiência militar para a capitania do Espírito Santo

 
[quads id="1"]
 
 

Vendo-se neste Conselho a carta inclusa do , vice-rei e capitão geral do Estado do Brasil, que entre outras remeteu a êle o secretário de Estado, Diogo de Mendonça Côrte Real, para que se vissem e consultassem o que parecesse sôbre as matérias que nela se continham.

E satisfazendo-se ao que Vossa Majestade ordena pareceu representar a Vossa Majestade que a , e o seu pôrto é de grandes conseqüências, muito constante conforme tôdas as notícias que há que aencerram em si muitas , e que por êste respeito será mui apetecida dos nossos inimigos, pondo todo o empenho em a dominarem, e que se o conseguirem, será isto muito danoso assim para a Bahia, como para o , por ficar em meio destas duas capitanias, sendo também fácil poderem penetrar e ir às , e que nesta consideração convém que se nomeie para o govêrno dela oficial de grande opinião, préstimo e valor, e que tenha experiência da guerra, e visto muito fogo e de quem se espera faça uma defensa gloriosa.

E porque uma das razões que há para não haver sujeitos daquela conta que se requer que o pretendam é por ter sómente o soldo de 100$000 réis que é muito limitado para quem vai servir em tanta distância onde tudo é mais caro, e para que isto se emende e possa animar a alguns oficiais de honra e brio, para que queiram semelhante emprêgo que Vossa Majestade haja por bem de que tenha de sôldo 300$000 réis por ano, sem mais graduação que a de capitão-mor pos sendo a capitania da de tanta importância e outras muitas que há no mesmo Estado do Brasil, compostas de grande número de vassalos, se lhe não dá outro título mais que o de capitão-mor e se entende que tendo o acrescentamento do sôldo da maneira que se propõe, não faltarão pessoas que se oponham e em quem concorram os requisitos apontados, e havendo Vossa Majestade assim por bem, se porão então editais para o dito provimento, fazendo-se menção neles do dito acrescentamento.

Lisboa, 20 de dezembro de . Teles, Costa. Moranda. Souza.

À margem: Como parece. Lisboa, 12 de janeiro de 1715. Rei.

 
 
DOCUMENTOS Históricos. Consultas do Conselho Ultramarino, Rio de janeiro – Bahia, 1710-1716. Vol. XCVI. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional. 1952, p. 146.
Acervo Biblioteca Nacional
Não há.
 
 
[quads id="2"]
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>