17/12/1552: Mandado para Francisco de Oliveira que pagasse ao Padre Gomes Ribeiro

15/12/1552: Mandado para Francisco Gonçalves que entregasse a Francisco de Oliveira
04/12/2015
08/03/1553: Mandados para Pero de Pina que desse ao Espinoza, e Megera Castelhano e outrossim para Francisco de Oliveira
04/12/2015
Exibir tudo

17/12/1552: Mandado para Francisco de Oliveira que pagasse ao Padre Gomes Ribeiro

 

Versão 1:

A dezessete de Dezembro de mil quinhentos, e cinquenta, e dois [1552] passou o Provedor- mor mandado para o dito Francisco de Oliveira Feitor, e Almoxarife de Sua Alteza, que pagasse ao Padre Gomes Ribeiro Deão da Sé da Cidade do Salvador Procurador do Bispo, e Cabido da dita Cidade oito mil, e quinhentos reis em resgate à razão de dinheiro, que lhe eram devidos dos Dízimos das miunças, que pertencem ao dito Bispo, e Cabido dos seis meses que acabariam o derradeiro de Dezembro do dito ano; e que por ele, e seu conhecimento feito pelo Escrivão de seu Cargo assinado por ambos, em que declarasse receber a dita soma lhe sejam Levados em Conta.

(À margem): — Este não houve efeito por se não pagar a dita soma na dita Capitania do Espirito Santo por não haver rendimento para se lá pagarem; e foi pago por outro mandado do Provedor-mor no Tesoureiro Bastião Ferreira a 13 de Julho de 1554.

Versão 2:

A dezessete de Dezembro de mil quinhentos, e cinquenta, e dois passou o Provedor-mor mandado para o dito Francisco de Oliveira Feitor, e Almoxarife de Sua Alteza, que pagasse ao Padre Gomes Ribeiro Deão da Sé da Cidade do Salvador procurador do Bispo, e Cabido da dita Cidade oito mil, e quinhentos reis em resgate a razão de dinheiro, que lhe eram devidos dos Dízimos das miunças, que pertencem ao dito Bispo, e Cabido dos seis meses que acabariam o derradeiro de Dezembro do dito ano; e que por ele, e seu conhecimento feito pelo Escrivão de seu cargo assinado por ambos, em que declarasse receber a dita soma lhe sejam levados em conta.

(A’ margem): Este não houve efeito por se não pagar a dita soma na dita Capitania do Espírito Santo por não haver rendimento para se lá pagarem, e foi pago por outro mandado do Provedor-mor no Tesoureiro Bastião Ferreira a 13 de Julho de 1654.

 
 
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>