15/07/1671: Registo da patente do Capitão-Mor do Espirito Santo Ignacio de Lercaro

04/06/1671: Registo da patente por que se proveu a Ignacio de Lercar em uma companhia de Infantaria do presidio da Capitania do Espirito Santo
02/06/2016
20/07/1671: Registo de um Alvará por que se proveu no posto de Alferes da Companhia do Capitão Ignacio de Lercaro da Capitania do Espirito Santo a Manuel Peixoto
02/06/2016
 
[quads id="1"]
 
 

Affonso Furtado de Castro do Rio de Mendonça Comendador das Comendas de São Julião de Bragança e São Romão de Fonte Coberta da Ordem de Cristo Alcaide-Mor da Villa da Covilhã Senhor de Barbacena do Conselho de Guerra de Sua Alteza Governador, e Capitão Geral de mar. e terra do Estado do Brasil etc. Porquanto está vago o cargo de Capitão-Mor da Capitania do Espirito Santo por Antonio Mendes de Figueiredo o haver servido quatro anos, e ter acabado os primeiros três que pela patente sua se serviu Sua Alteza conceder-lhe. e convém prove-lo em pessoa de valer pratica da disciplina militar, e muita experiência da Guerra: tendo consideração ao bem que estas qualidades concorrem na de Ignacio de Lercaro, e a satisfação com que me constou haver servido a Sua Alteza nas guerras do Brasil fronteiras do Alentejo, e Armadas em praça de soldado, Alferes, e Capitão de uma Companhia de Infantaria achando-se no decurso deste tempo nas ocasiões de maior importância, e recuperação de praças como foi embarcando-se na Armada que de Portugal foi a França, a cargo do General Dom João de Menezes de que resultou renderem-se em Itália às Armas de El-Rei Cristianíssimo as praças de Perto Longon, e Piombino; e depois se embarcou no socorro que para esta Cidade veio a cargo do Mestre de Campo Francisco Barreto, e nela aclarou a praça servindo onze meses passou a continuar o serviço na guerra de Pernambuco em que continuou sete anos, e oito meses: achando-se no decurso deste tempo em todas as ocasiões, marchas, emboscadas, e sentinelas perdidas que se ofereceram até se restaurar a praça do Recife, e mais Capitanias do Norte: E em particular na investida que o Inimigo fez á instancia do Governador dos Pretos Henrique Dias rechaçado com perda de muitos mortos, e feridos no recontro que houve nas emboscadas do Engenho do Mingáo até o inimigo perder o Campo com muitos mortos: na segunda Batalha dos Outeiros dos Gararapes saindo o Inimigo a campanha com quatro mil homens, e seis peças de Artilharia da qual se retirou perdendo-a, e deixando no campo dois mil homens, doze bandeiras todo o trem. e muitos prisioneiros de conta: nas emboscadas que se fizeram ao Inimigo a campanha com quatro mil homens, e seis dos: procedendo nos ataques sortidas que se fizeram ao Inimigo até se tomar posse da Fortaleza das Cinco Pontas, e de todas as mais do Recife, com tanto valor, e boa disciplina que lhe fez Sua Alteza mercê de um escudo de vantagem, e restauradas aquelas praças passou com ela assentada na Armada da Junta da Companhia Geral no Navio São Lourenço de que era Capitão Rodrigues Moniz da Silva a continuar o serviço nas fronteiras do Alentejo, havendo nele corrido a costa de Pernambuco, a franquear a entrada aos nossos Navios pela infestarem os Holandeses; e passando ao Exército com que se recuperou a praça de Monção indo a cargo do Tenente-General de Sua Majestade João Mendes de Vasconcellos se achou assim naquela expugnação, aproches. e ataques dela, como  no sítio que no ano seguinte se pôs a praça de Badajós havendo-se nas investidas que se fizeram à dita praça com particular valor por cuja causa o promoveu o dito Tenente-General de Sua Majestade a Capitão de uma Companhia de Infantaria que no mesmo sítio vagou por morte de Martim de Maloenda no socorro da praça de Evora, sitio, e expugnação dela, e passar ultimamente na Almirante, da Armada da Junta de que vim por General a governar este Estado para nele continuar o serviço de Sua Alteza havendo procedido em todo o decurso deste tempo com particular satisfação, e zelo; e respeitando juntamente ser conveniência do serviço de Sua Alteza que em a ocupação de Capitão da Infantaria de que ora vai provido para a mesma Capitania exercer juntamente a de Capitão-Mor dela (de que há exemplo) esperando dele que nas obrigações de um, e outro posto se haverá muito conforme a confiança que faço de seu merecimento, e qualidade. Hei por bem de o eleger, e nomear (como em virtude da presente elejo, e nomeio) Capitão-Mor da dita Capitania do Espirito Santo para que como tal o seja use e exerça com todas as honras, graças, franquezas, preeminências, privilégios, isenções, e liberdades que lhe tocam podem, e devem tocar aos mais Capitães Mores das Capitanias deste Estado, e com o dito posto. haverá o ordenado, e todos os mais próis, e precalços que direitamente lhe pertencerem, e costumavam gozar seus antecessores. Pelo que o hei por metido de posse fazendo primeiro preito, e menagem, e dado juramento, em minhas mãos na forma costumada, e ordeno aos Oficiais da Câmara daquela Capitania Coronel, Sargentos-maiores, e mais Oficiais de Guerra, Fazenda, e Justiça dela nobreza, e mais povo que constando por certidão do Secretario do Estado haver feito o dito preito menagem em minhas mãos o hajam, honrem, estimem, e reputem por seu Capitão-Mor, e como a tal obedeçam, cumpram, e guardem todas suas ordens de palavra ou por escrito como devem e são obrigados; e ao Provedor-Mor da Fazenda Real deste Estado, e em particular ao daquela Capitania lhe façam pagar na folha os cem mil reis de ordenado que é estilo vencerem os Capitães-mores dela.

Para firmeza do que mandei passar o presente sob meu sinal e selo de minhas armas a qual se registará nos Livros da Secretaria deste Estado Cantara da mesma Capitania, e nos mais a que tocar. Antonio Garcia a fez nesta Cidade do Salvador Bahia de Todos os Santos em os quinze dias do mês de Julho. Ano de mil e seiscentos, e setenta e um. Bernardo Vieira Ravasco o fiz escrever. Affonso Fur­tado de Castro do Rio de Mendonça. Registada no terceiro Livro dos Registos da Secretaria do Estado do Brasil a que toca a folhas cento, e setenta e seis. Bahia e Julho quinze de mil e seis- centos, e setenta e um. Ravasco. Despacho do Provedor-Mor. Cumpra-se o registe-se. Bahia e Julho dezessete de mil e seiscentos, e setenta e um. De Ulhôa.

Miguel Pinto de Freitas

 
 
DOCUMENTOS Históricos. Provisões, Patentes, Alvarás, Sesmarias, Mandados, etc. Vol. XXIII. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional. 1933, p.254-257.
Acervo Biblioteca Nacional
Não há.
 
 
[quads id="2"]
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>