10/03/1553: Provisão para ver quão desprovidos estavam os Engenhos das Capitanias do Espírito Santo, Porto Seguro e Ilhéus

08/03/1553: Mandados para Pero de Pina que desse ao Espinoza, e Megera Castelhano e outrossim para Francisco de Oliveira
04/12/2015
14/02/1612: Alvara per que Vossa Magestade há por bem que as matérias que tocão a sua fazenda do estado do Brasil venhão todas ao Conselho da Fazenda aonde pertence o conhecimento delas e não a outro tribunal, como assima se conthem. E este valera como carta e não passara pella Chancelaria
06/12/2015
Exibir tudo

10/03/1553: Provisão para ver quão desprovidos estavam os Engenhos das Capitanias do Espírito Santo, Porto Seguro e Ilhéus

 

Versão 1:

A dez de Março de mil quinhentos, e cinquenta, e três [1553] passou o Provedor-mor Antonio Cardoso de Barros uma sua Provisão por que fazia a saber aos Provedores da Fazenda do dito Senhor das Capitanias do Espirito Santo, e Porto Seguro, e dos Ilhéus, que pior ele ver quão desprovidos estavam os Engenhos das ditas Capitanias da artilharia necessária para sua defensa, como Sua Alteza mandava, lhe mandava a todos em geral, e cada um em particular, que da artilharia, que lhe mandava por Fernão Vaz da Costa Capitão da Galeota São Thomé, ou de outra qualquer que nas ditas Capitanias houvesse de Sua Alteza Carregadas sobre o Feitor, mandasse dar aos Senhorios, e Feitores dos ditos Engenhos toda artilharia que houvessem mister e eles Provedores lhes pudessem mandar dar, a qual lhe dariam fiada por um ano, dando suas fianças abonadas à valia da dita artilharia a qual lhes mandaria dar pelos preços, que vieram dos Armazéns do Reino, que estavam resgatados nos Livros dos Registros das ditas Reitorias, as quais somas, que se na dita artilharia se montasse fariam Carregar em Receita sobre os ditos Feitores, e Almoxarifes; e que a dita Provisão mandaria registar no Livro dos Registros das ditas Feitorias para em todo tempo se saber, como o assim tinha mandado; e que de como a dita Provisão ficava registrada mandariam nas Costas dela suas Certidões.

Versão 2:

A dez de Março de mil quinhentos, e cinquenta, e três passou o Provedor-mor Antonio Cardoso de Barros uma sua, Provisão, por que fazia a saber aos Provedores da Fazenda do dito Senhor das Capitanias do Espirito Santo, e Porto Seguro e dos Ilhéus, que por ele ver quão desprovidos estavam os Engenhos das ditas Capitanias da artilharia necessária para sua defensa, como Sua Alteza mandava, lhe mandava a todos em geral, e cada um em particular, que da artilharia, que lhe mandava por Fernão Vás da Costa Capitão da Galeota São Thomé, ou de outra qualquer que nas ditas Capitanias houvesse de Sua Alteza carregadas sobre os Feitores, mandassem dar aos Senhorios, e Feitores dos ditos Engenhos toda artilharia, que houvessem mister, e eles Provedores lhes pudessem mandar dar, a qual lhe dariam fiada por um ano, dando suas fianças abonadas a valia da dita artilharia, a qual lhes mandaria dar pelos preços, que vieram dos Armazéns do Reino, que estavam resgatados (sic) nos livros dos Registros das ditas Feitorias, as quais somas, que se na dita artilharia se montasse fariam carregar em receita sobre os ditos Feitores, e Almoxarifes; e que a dita Provisão mandaria registar no livro dos Registos das ditas Feito­rias para em todo tempo se saber, como assim tinha mandado; e que de como a dita provisão ficasse registado mandariam nas costas delia suas Certidões.

 
 
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    //]]>