Exposição: Contexto Histórico

27/03/2018
Exposição: Mapas do Espírito Santo Colonial
27/03/2018
Exposição: Mapas Gerais
28/03/2018

Contexto Histórico


spiritosancto-expo-placa01

A CARTOGRAFIA MODERNA PORTUGUESA

O processo de mapeamento do Espírito Santo seguiu dos moldes do reconhecimento e mapeamento de toda a costa do Brasil, um processo importante para Portugal. Mapas eram considerados verdadeiras fontes de poder, ferramentas que permitiam criar um discurso imperialista e estabelecer o domínio de territórios distantes. Ou seja, mesmo uma viagem de navio entre Portugal e o Brasil podendo durar até 3 meses, com um único mapa, a Coroa era capaz conhecer, controlar e administrar suas possessões ultramarinas diretamente da metrópole.

A maior parte dos mapas expostos aqui foram feitos durante o período da União Ibérica quando Portugal e Espanha estiveram sob uma mesma coroa. De 1580 a 1640, as duas nações foram governadas por três Filipes, que, controlando um império que se espalhava por todo o mundo, se tornaram os reis mais poderosos da Europa.

A própria existência desses mapas mostra o que chamamos de “atlantização das atenções”. Com a queda nos lucros obtidos na Ásia no século 17, é para o Atlântico, mais especificamente para a América, que Portugal virará seus olhos. Um elemento capaz de demonstrar o crescimento dessa importância é o Roteiro de todos os sinais da costa do Brasil, do cartógrafo Luís Teixeira. Feito em finais do século 16, o roteiro traz o primeiro conjunto de mapas a representar o território do Brasil em detalhes, contanto com uma dúzia de cartas regionais. Nessa lista, é claro, está uma parte do Espírito Santo.

O ESPÍRITO SANTO

A Capitania do Espírito Santo, uma das primeiras a serem criadas pela Coroa, foi doada a Vasco Fernandes Coutinho, que em 1535 abriu o caminho para que os portugueses expandissem o conhecimento sobre a região, gradualmente ocupada pelos colonos. Em 1570, segundo o cronista Pero de Magalhães Gândavo, Vitória tinha cerca de 180 “vizinhos” (um termo que significava 4 ou 5 pessoas, dando um total de 720 a 900 pessoas). Comparada a Pernambuco (1.000 vizinhos), ou a Baía de Todos os Santos (1.100), o Espírito Santo era simplesmente pequeno: apenas as capitanias de Itamaracá (100) e do Rio de Janeiro (140) eram menores.

Mas aqui, é claro, não viviam apenas portugueses. Acredita-se que, em 1500, viviam na região do Espírito Santo cerca de 160 mil ameríndios, ou 7% da população do território brasileiro (estimada em 2,5 milhões). Com a chegada dos jesuítas, suas aldeias e missões passaram a reunir grandes grupos de indígenas, que ajudaram a formar o que seria a base para o povoamento de toda a capitania. Padre José de Anchieta, no século 16, contou 4.500 índios aldeados, um número muito expressivo para uma capitania que provavelmente não tinha mais que 1.000 colonos portugueses.

Ainda assim, no início do século 17, a Vila de Vitória estava bem estruturada. De acordo com relatos da época, a vila tinha boas casas de negócios, colégio jesuíta e conventos, além de quatro ou cinco engenhos. Sua economia girava em torno da cana de açúcar, da qual se faziam açúcar e aguardente, algodão, arroz e tabaco, sem falar no pau-brasil.

Este é, portanto, o Espírito Santo que vemos nos mapas a seguir. Feitos entre 1590 e 1700, eles nos trazem a imagem de uma capitania que não encontramos em qualquer outro lugar. Verdadeira fonte primária de nossa História, a cartografia do Espírito Santo, feita por portugueses, holandeses e italianos, é essencial para conhecermos as origens do nosso estado.



Exposição

27/03/2018

Exposição Mapas do Espírito Santo Colonial estreia no Arquivo Público

No dia 3 de abril o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo inaugura a exposição Mapas do Espírito Santo Colonial. Organizada pelo historiador capixaba […]
27/03/2018

Exposição: Mapas do Espírito Santo Colonial

Mapas! Esta é, sem dúvida, uma palavra que resume o funcionamento do império português entre os séculos 16 e 18. Preocupados em administrar um império […]
27/03/2018

Exposição: Contexto Histórico

A CARTOGRAFIA MODERNA PORTUGUESA O processo de mapeamento do Espírito Santo seguiu dos moldes do reconhecimento e mapeamento de toda a costa do Brasil, um […]
28/03/2018

Exposição: Mapas Gerais

A Capitania do Espírito Santo fez parte do processo de reconhecimento e ocupação da costa e entre os mais antigos mapas do Brasil estão alguns […]
28/03/2018

Exposição: Ilha de Duarte de Lemos

Luís Teixeira foi um dos mais importantes cartógrafos portugueses no século XVI e um dos poucos a de fato percorrer e reconhecer a costa do […]
28/03/2018

Exposição: Costa do Brasil entre Porto Seguro e Espírito Santo

Gaspar Ferreira Reimão foi um dos mais importantes navegadores da Carreira da Índia, as rotas de navegação entre Portugal e suas colônias. Ele era cavaleiro-fidalgo […]
28/03/2018

Exposição: Capitania do Espirito Sancto

O Atlas de las costas y de los puertos de las posesiones portuguesas em América y África é uma coleção de 35 mapas feitas por […]
28/03/2018

Exposição: Capitania do Espíritu Sancto

Este mapa, que pertence à Real Academia de la Historia, na Espanha, é um impressionante trabalho de mapeamento da ilha de Vitória e seus arredores. […]
29/03/2018

Exposição: Rio de Espiritu Santo

A cartografia holandesa do século 17 foi influenciada pelos mapas portugueses do mesmo período. Porém, enquanto em Portugal a produção ficava aos cuidados dos Armazéns […]
29/03/2018

Exposição: Porto do Spirito Santo

O quadro do Porto do Spirito Santo está em uma das páginas das Taboas geraes de toda a navegação. Este atlas hidrográfico é um impressionante […]
29/03/2018

Exposição: O Ispirito Santo

O forte interesse holandês no Brasil foi registrado em diversos mapas. Isso corresponderia a uma necessidade que os holandeses tinham de obter o máximo de […]
29/03/2018

Exposição: Demostração da Capitania do Spirito Santo atte a ponta da barra do Rio Doçe

Filho de Luís Teixeira, João Teixeira Albernaz continuou o trabalho de seu pai e produziu mapas de notável qualidade artística da América portuguesa, com destaque […]
29/03/2018

Exposição: O Estado do Brasil

O Estado do Brasil é um impressionante conjunto de 37 mapas da América portuguesa, o maior até então. Talvez por isso, encontramos nele três mapas […]
29/03/2018

Exposição: Descripção de todo o Maritimo da terra de S[an]ta Crvs

O Estado do Brasil é um impressionante conjunto de 37 mapas da América portuguesa, o maior até então. Talvez por isso, encontramos nele três mapas […]
29/03/2018

Exposição: Descripção de toda a costa da Provinsia de santa Cruz

Das obras sobre o Brasil de João Teixeira Albernaz, o Velho, esta é a última que se tem notícia. Ela está na Biblioteca da Ajuda, […]
29/03/2018

Exposição: [Atlas do Brasil]

João Teixeira Albernaz, o Moço, é bisneto de Luís Teixeira e neto homônimo do cartógrafo que fez mapas do Brasil e do Espírito Santo entre […]
29/03/2018

Exposição: Livro da descripção de toda a costa do estado do Brasil

Os mapas que vemos aqui fazem parte do Livro da descrição de toda a costa do (estado) do Brasil. As duas cópias existentes do livro […]
29/03/2018

Exposição: Dell’Arcano del Mare

Estas cartas pertencem ao valioso Dell’Arcano del Mare. Reconhecido por sua beleza e por sua importância, o Arcano del Mare é um trabalho impresso e […]
29/03/2018

Exposição: Pas-Kaart van de zee-kusten van Brazilia

Quando o cartógrafo holandês Joannes Van Keulen obteve a patente do governo para publicar mapas, ele comprou diversas placas de outros cartógrafos, vindo inclusive a […]
29/03/2018

Exposição: Provincie dello Spirito Santo e di Porto Sicuro

Este impressionante mapa impresso, de 1698, faz parte de um conjunto de 23 mapas feitos pelo cartógrafo italiano Andrea Antonio Orazi para o livro Istoria […]
29/03/2018

Exposição: Evolução da área mapeada

Estes esquemas mostram, a partir do formato atual do Estado do Espírito Santo, a área exibida em cada mapa do período colonial que observamos (nos […]
29/03/2018

Exposição: Evolução de Vitória

Aqui, vemos esquemas que mostram a evolução do mapeamento da ilha de Vitória e seus arredores a partir de um mapa atual da região. Dos […]
29/03/2018

Exposição: Uma cronologia dos mapas

Para tentar entender melhor como se deu a criação dessa produção cartográfica durante o século 17, e entender a sua cronologia e, quem sabe, sua […]
29/03/2018

Exposição: Encerramento

Nos séculos 16 e 17, encontramos mapas bastante diferentes do Espírito Santo. Alguns são meros rascunhos, com cartuchos ou rosas dos ventos incompletas, outros cuidadosamente […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

//]]>