30/05/1615: Do vizo rei, sobre os ingreses que pretendem fazer hũa fortaleza entre o Rio de Janeiro e Spirito Santo

26/05/1615: De Sua Magestade pelo arcebispo que trouxe Diogo de Campos sobre couzas do Maranhão em 28 de [Maio] e cartas de Diogo de Campos Moreno
06/12/2015
10/06/1617: Registro da Folha Geral do Estado do Brasil
06/12/2015
 

Governador amigo, eu el Rey vos envio muito saudar.
No porto de Londres se armão algũs navios pera hir fazer duas fortalezas na costa desse estado do Brasil em hũ porto que dizem haver descuberto entre as capitanias do Espirito Sancto e Rio de Janeiro, e porque ainda que não he de crer que se persuadirão de que se podem sustentar em sitio tam desacomodado pella pouca capacidade do porto e por estar tão vezinho a duas fortalezas minhas, todavia porque a prevenção não pode nunqua fazer damno, e do descuito e dilação tem resultado muitos que depois se remedeão trabalhosamente, ouve por bem que se vos enviassem pera acodirdes ao Rio de Janeiro e Sperito Sancto cem mosquetes, e sem arcabuzes apparelhados, e vinte quintais de polvora, e de chumbo dez quintais, de formas pera pelouros quarenta, e de murrão dez quintais¹, e para o provimento do Maranhão quarenta quintais de polvora de espingarda, o que tudo hora vay na caravella em que envio a Diogo de Campos Moreno a esse estado com outras cousas de meu serviço; vos mando que na ditta caravella, chegando pera isso, ou em outra embarcação, ou embarcações, com toda a brevidade e sem faltar ao que esta ordenado para o seguimento da jornada do Maranhão, envieis logo as ditas armas e monições e algũa gente para que a cargo de pessoa de confiança mandeis tudo a estas capitanias do Rio de Janeiro e Espirito Santo para se proverem aquellas fortalezas; e porque em meu serviço não falteis e assy entendo o farei nesta matteria por ser da importância que vedes e em que tanto vay, vo lo não encarrego mais.

Escripta em Lisboa o ultimo de Mayo de 615.

E a pólvora que vay pera o Maranhão he fora a que daqui se vos mandou nos navios que forão em companhia de Vasco de Sousa Pacheco, que foi por capitão de Pernãobuco.

a. O Arcebispo Primas; a. Dom Estevão de Faro.

Nenhuma polvora  trouxe Vasco de Sousa que ate agora seja recebida.

Para o governador do Brasil.

Do vizo rei, sobre os ingreses que pretendem fazer hũa fortaleza entre o Rio de Janeiro e Spirito Santo.

Por el Rey ao governador do Brasil

Andre Cardoso Pinto do Rio de Janeiro, filho de Jorge Pinto Beredo, que de servir de capitão na caza de pedra (?)

Por el Rey a Gaspar de Sousa do seu Conselho, seu gentil homem da boca e capitão geral e governador do estado do Brasil.

De Sua Magestade, pelo arcebispo primas, em 30 de maio sobre a mesma conqista em que veio com o sargento mor.

 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

//]]>