27/08/1712: Registo da Carta Patente do posto de capitão da Companhia de Infantaria da guarnição da Vila da Vitória, capitania do Espírito Santo provido na pessoa do Alferes Francisco Rodrigues

16/08/1709: Provisão concedida a Antônio Carvalho de Azevedo, do cargo de Provedor das Fazendas dos Defuntos, e Ausentes da Capitania do Espírito Santo
07/06/2016
13/03/1713: Provisão concedida a Antônio Ferreira Coutinho, da serventia do cargo de Ouvidor da Capitania do Espirito Santo
07/06/2016
 
[quads id="1"]
 
 

do , Governador e Capitão Geral do Estado do Brasil etc. Porquanto sendo-me presente por algumas pessoas de toda a suposição que João da Costa Correia Capitão da Companhia de Infantaria da , se achava pelos seus muitos anos e achaques totalmente impossibilitado de exerecer e dito posto e ultimamente pela informação que me deu o Capitão-mor da mesma Capitania da incapacidade do dito João da Costa Correia se verificar, a qual por ser notório a Sua Majestade, que Deus Salve, depois de lhe ter feito mercê da dita Capitania ordenou por Carta de 17 de Outubro de 1709 a Governador e Capitão Geral que foi deste Estado, que constando-lhe que o provido pelos seus muitos anos estava impossibilitado de servir na dita Companhia no tal caso suspende-se a sua execução o que então se não fez por a Patente do provido chegar muito antecipadamente à dita Carta e porque vista a sua incapacidade convem ao serviço do dito Senhor que no tempo presente em que o Brasil pode ser invadido dos inimigos da coroa que todas as praças dele estejam com a prevenção necessária para a sua defesa; e ordenar Sua Majestade pelo capítulo 40 do Regimento novo deste Governo Geral que em ato de guerra possa o Governador e Capitão Geral dele criar os postos que forem necessários; prover o de Capitão da dita Companhia da Vila da Vitória e que seja em pessoa de suficiência, valor e prática na disciplina militar; respeitando eu ao bem que estas partes concorrem na de por haver servido a Sua Majestade 22 anos, 1 mês e 21 dias efetivos nesta cidade da Baía em praça de Soldado, Cabo de Esquadra, Sargento supra e 1º número em duas Companhias e de Alferes que atualmente está exercendo na Companhia do capitão Francisco João da Cunha da guarnição desta Praça; aparecendo as mostras gerais que no dito tempo se passaram e embarcar-se com a sua Companhia na nau Nossa Senhora da Guia e Santo Antônio de que era Capitão de Mar e Guerra Bento de Araujo Dantas a correr a costa contra o pirata e ultimamente se enbarcou em a Companhia do capitão de Mar e Guerra Manuel Pimenta em uma armadilha a correr a mesma costa por haver notícia andava inimigo nela; havendo-se com toda a satisfação nas obrigações do seu posto e nas mais que lhe tocaram. E por esperar dele que nas que daquí em diante lhe pertencerem procederá com a mesma satisfação muito como deve a confiança que faço de sua pessoa. Hei por bem de o eleger e nomear (como pela presente elejo e nomeio) Capitão da dita Companhia da guarnição da Vila da Vitória da Capitania do Espírito santo para que o seja, use e exerça com todas as honras, graças, franquezas, preeminências, privilégios, isenções e liberdades que lhe tocam, podem e devem tocar aos mais Capitães das Companhias de Infantaria da guarnição das Vilas deste Estado e Reino de Portugal e com o dito posto haverá o soldo que lhe pertencer e de que gozava seu antecessor. Pelo que ordeno ao Capitão-mor da Capitania do Espírito Santo lhe dê a posse e juramento de que se fará o assento que é estilo nas costas desta e aos oficiais maiores e menores de Guerra e Milícia deste Estado o conheçam, honrem, estimem e reputem por Capitão da dita companhia e aos oficiais e soldados dela mando façam o mesmo guardando, cumprindo e executando todas as suas ordens de palavra e por escrito tão pontual e inteiramente como devem e são obrigados. E ao Provedor da Fazenda Real da dita Capitania ordeno outrossim lhe faça assentar, livrar e pagar dela o seu solda na forma que se praticava com o dito seu antecessor e das ordens de Sua Majestade. Para firmeza do que mandei passar a presente sob meu sinal e selo de minhas armas, a qual se registará nos livros da Secretaria do Estado e nos da Fazenda Real dele desta cidade e daquela Capitania e nos da Câmara da Vila da Vitória dela a que tocar. a fez nesta cidade do Salvador Baía de Todos os Santos em 27 de Agosto de 1712. Gonçalo Ravasco Cavalcanti e Albuquerque o fez escrever. Pedro de Vasconcelos. Selo. Carta Patente do posto de Capitão da Companhia de Infantaria da guarnição da Vila da Vitória, Capitania do Espírito Santo que Vossa Excelência teve por bem prover na pessoa de , Alferes atual da Companhia do Capitão Francisco João da Cunha da guarnição desta Praça da Baía, pela total incapacidade de anos e achaques com que se acha João da Costa Correia que o exercia e razões e respeitos acima declarados. Para Vossa Excelência ver. Registada à folha 1 verso do livro 8º dos Registos da Secretaria do Estado do Brasil a que toca. Baía e Agosto 27 de 1712. Ravasco.

 
 
DOCUMENTOS Históricos. Provisões – Patentes – Alvarás, 1711-1713. Vol. LX. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional. 1943, p.244-247.
Acervo Biblioteca Nacional
Não há.
 
 
[quads id="2"]
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>