27/08/1676: Resposta que deu o Donatário da Capitania do Espírito Santo Francisco Gonçalves¹ de Azevedo sobre a jornada da Serra das esmeraldas

27/06/1676: Carta que se escreveu ao Governador do Rio de Janeiro Mathias da Cunha sobre Francisco Gil de Araujo e se lhe mandarem dar os Indios daquella Capitania para a jornada as Esmeraldas
06/06/2016
19/09/1676: Sôbre o que escreve José Gonçalves de Oliveira, capitão da capitania do Espirito Santo, acerca das dúvidas que teve com o donatário dela, Francisco Gil de Araújo e oficiais da Câmara
06/06/2016
 
[quads id="1"]
 
 

Senhor. Ví as cartas e papéis que Sua Alteza se serviu ordenar a Vossa Senhoria pela carta de 5 de dezembro do ano passado de 675 me comunicasse sobre o negócio do descobrimento da Serra das da minha Capitania. Quando escrevi a Sua Alteza sobre este particular foi representando-lhe que não estava a Capitania em estado de sem minha presença se intentar aquela jornada, mas que se fosse serviço de Sua Alteza eu a mandaria fazer à minha custa. A Vossa Senhoria é presente quanto , Capitão daquela Capitania, era incapaz de a empreender, e supostas todas estas ordens de Sua Alteza e a confiança que se servia fazer da forma em que eu lhe escrevi para que querendo eu mandar fazer o descobrimento daquelas minhas à minha custa tenha o efeito nas pessoas que eu nomear e mandar com a obrigação de se fazer a jornada em Abril do ano que vem; me pareceu dizer a Vossa Senhoria que por não faltar ao zelo com que sempre servi a Sua Alteza me resolva a mandar fazer o dito descobrimento a minha custa e dar princípio a ele no mês de Abril, e aceitar as mesmas mercês que se incluem nas ordens e Alvarás que acompanharam a dita Carta, em cujo cumprimento deve Vossa Senhoria mandar passar todas as ordens que enquanto não vou para a dita Capitania me parecerem necessárias. Sendo logo a primeira Provisão para a pessoa que houver de governar a dita Capitania, fazendo eu para isso a proposição, como Donatário, sem prejudicar o meu direito que hei de representar a Sua Alteza Carta por que se levante homenagem a Provisão pela qual declare Vossa Senhoria como a Provisão de Sua Alteza de 5 de Dezembro de 675 e o Alvará de Lembrança da dita carta de Sua Alteza, e a Patente que lhe vinha para Capitão-mor da Entrada tenha efeito na pessoa do Sargento João de Pina Tavares e por sua falta na de seu cunhado o Capitão Braz Teixeira, os quais proponho na sobredita forma a Vossa Senhoria. E porque não é possível passar à Capitania senão em Dezembro e convem tanto ao Serviço de Sua Alteza a brevidade de se anteciparem as prevenções para o descobrimento que é uma das causas por onde não poderei partir no princípio das monções deve Vossa Senhoria mandar passar ordem para que das Capitanias de , e se dêm a minha ordem todos os índios que forem necessários para o descobrimento, visto o inconveniente grande de se poder praticar a Carta de Sua Alteza de 5 de dezembro do dito ano, na qual se serviu mandar que se pudesse levar para ele os índios necessários das aldeias circunvizinhas a esta cidade por ficarem mui remotos para este efeito e serem os daquelas Capitania mais idônes e com mais experiência daquele sertão, e ultimamente para o Provedor da Fazenda daquela Capitania dar dos armazéns de Sua Alteza tudo o que for necessário na forma da outra carta sua da mesma data, com que entendo fico dando cumprimento ao que Sua Alteza é servido. E nesta Lisboa a 27 de Agosto de . Príncipe. Para a 3 de Junho de . Francisco Gil de Araujo

 
 
DOCUMENTOS Históricos. Cartas Régias 1667-1681. Vol. LXVII. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional. 1945, p.189.
Acervo Biblioteca Nacional
1: A publicação original erra o nome do Donatário da Capitania do Espírito Santo no título da carta, mas acerta ao fim do documento, onde se lê Francisco Gil de Araújo.
 
 
[quads id="2"]
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>