17/06/1651: Provisão do Cargo de Capitão-mor da Capitania do Espírito Santo na pessoa de Simeão Carvalho

13/03/1650: Copia da carta que escreveu o Sr. Conde Governador ao Capitão Mor do Espirito Santo em que lhe dá conta de sua chegada e faz recommendação dos ministros da Companhia Geral
17/01/2016
01/06/1654: Carta para o Capitão-mor da Capitania do Espírito Santo Simão de Carvalho
19/01/2016
 

Dom João por graça de Deus Rei de Portugal, e dos Algarves, daquém e dalém-mar em Africa, Senhor da Guiné, e da Conquista navegação comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e da Índia etc. Faço saber aos que esta minha Carta Patente virem, que por Dona Felippa de Menezes Mãe, e tutora de Antonio Luiz Coutinho da Camara Donatário da no Estado do Brasil, me haver proposto, para Capitão dela três pessoas na forma de minhas ordens para eu escolher, e nomear qual for servido, e ser uma delas o Capitão , Cavaleiro Fidalgo de Minha Casa, que se embarcou na armada, que no ano de seiscentos e trinta e dois foi ao Brasil a cargo de João Pereira Corte Real, e serviu de Alferes de três companhias de Infantaria desta cidade, sete anos indo por vezes a Cascais, quando se esperava pela armada do inimigo, e no dia de minha restituição a estes meus Reinos, se achou no terreiro do paço com a sua companhia, que governava com que ajudou a mesma restituição, com mostras de bom Português, e no ano de seiscentos e quarenta e cinco, foi ao Alentejo, por Capitão de uma companhia paga com que à vista do inimigo se meteu em Olivença com risco de vida procedendo em tudo como pessoa de valor, e pratica de guerra; e por esperar dela, que em tudo o de que o encarregar me servirá com a mesma satisfação com que até agora o tem feito. Hei por bem e me praz de o aprovar e nomear, como pela presente o aprovo, e nomeio, por Capitão da dita Capitania do Espírito Santo, para que a sirva assim, e da maneira que a serviram os mais Capitães seus antecessores na forma das Doações do dito donatário, e isto enquanto eu o houver por bem, ou não mandar o contrário com a qual haverá o ordenado que lhe tocar que começará a vencer do dia que partir desta cidade para a dita Capitania, e que justificará nela pelos oficiais, e pessoas do navio em que for, e gozará de toas as honras, privilégios, liberdades, isenções, e franquezas, que por razão do dito cargo lhe pertencerem. Pelo que mando a pessoa que estiver servindo de Capitão da dita Capitania, e em sua falta aos oficiais da Câmara dela lhe deem a posse da dita Capitania, e lhe deixem servir na forma costumada aliás na forma referida, e a todos os oficiais da Justiça, guerra e fazenda dela, que em tudo cumpram seus mandados de palavra, e por escrito, e lhe obedeçam, como a seu Capitão mui pontualmente, e o dito Simão Carvalho antes que parta desta cidade fará em minhas mãos preito, e homenagem, e juramento na forma costumada, segundo uso costume destes Reinos, de que presentará Certidão do Secretário a que tocar, e por firmeza de tudo lhe mandei passar esta digo lhe mandei dar esta Carta por mim assinada, e selada do meu selo pendente, e pagará o novo Direito. Dada nesta Cidade de Lisboa aos dezessete dias do mês de Junho. a fez. Ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil seiscentos e cinquenta e um diz o emendado, e pagará. O Secretário a fiz escrever. El-Rei. Carta Patente por que Vossa Magestade há por bem de aprovar, e nomear a Simeão Carvalho por Capitão da Capitania do Espírito Santo no Estado do Brasil pela nomeação que na forma das ordens de Vossa Majestade nele fez a Mãe do Donatário Antônio Luiz Coutinho da Câmara para a servir enquanto Vossa Majestade o houver por bem e não mandar o contrário, como nesta se declara. Para Vossa Majestade ver. Abaixo da firma Real está outra do Conde de Odemira. Por resolução de Sua Majestade de 10 de junho de mil seiscentos e cinquenta e um em consulta do Conselho Ultramarino de três do dito mês e ano. Diogo Furtado de Mendonça Deam de Lisboa. A fls. 126 do livro quarto das fianças, fica dado fiança a pagar o que deve de novos Direitos deste Cargo Lisboa vinte de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um. . Henrique Correia da Silva. Fica assentada, e pagou duzentos reis. Janalves Soares. Pagou três mil e quinhentos, aliás pagou três mil e quatrocentos. Lisboa dezoito de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um, e aos Oficiais cento e vinte e quatro réis, e de minha parte nada. . Registrada na Chancelaria no livro de privilégios, ofícios e mercês, a fls. 351. Luiz Correia de Andrada. Registrada nos livros do Conselho Ultramarino a fls. 243. Marcos Rodrigues Tinoco. Registrada nos livros do Conselho digo registrada no livro 13 dos registros da Mina a fls. 315 em Lisboa vinte e um de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um. Estevão Teixeira ……………………………. aos quatro dias do mês de Outubro de mil seiscentos e cinquenta e um nos paços da Ribeira desta cidade deu menagem nas mãos Reais de Sua Magestade Simeão Carvalho pela Capitania do Espírito Santo sendo presentes como testemunho o Conde da Feira, e Dom Miguel de Portugal, e eu do Conselho de Sua Magestade, e seu Secretário de Estado que a dita homenagem sobscrevi e assinei em Lisboa a 6 de Outubro de mil seiscentos e cinquenta e um. .

 
 
 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto:
//]]>