17/06/1651: Provisão do Cargo de Capitão-mor da Capitania do Espírito Santo na pessoa de Simeão Carvalho

13/03/1650: Copia da carta que escreveu o Sr. Conde Governador ao Capitão Mor do Espirito Santo em que lhe dá conta de sua chegada e faz recommendação dos ministros da Companhia Geral
17/01/2016
01/06/1654: Carta para o Capitão-mor da Capitania do Espírito Santo Simão de Carvalho
19/01/2016
 

Dom João por graça de Deus Rei de Portugal, e dos Algarves, daquém e dalém-mar em Africa, Senhor da Guiné, e da Conquista navegação comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e da Índia etc. Faço saber aos que esta minha Carta Patente virem, que por Dona Felippa de Menezes Mãe, e tutora de Antonio Luiz Coutinho da Camara Donatário da Capitania do Espírito Santo no Estado do Brasil, me haver proposto, para Capitão dela três pessoas na forma de minhas ordens para eu escolher, e nomear qual for servido, e ser uma delas o Capitão Simeão Carvalho, Cavaleiro Fidalgo de Minha Casa, que se embarcou na armada, que no ano de seiscentos e trinta e dois foi ao Brasil a cargo de João Pereira Corte Real, e serviu de Alferes de três companhias de Infantaria desta cidade, sete anos indo por vezes a Cascais, quando se esperava pela armada do inimigo, e no dia de minha restituição a estes meus Reinos, se achou no terreiro do paço com a sua companhia, que governava com que ajudou a mesma restituição, com mostras de bom Português, e no ano de seiscentos e quarenta e cinco, foi ao Alentejo, por Capitão de uma companhia paga com que à vista do inimigo se meteu em Olivença com risco de vida procedendo em tudo como pessoa de valor, e pratica de guerra; e por esperar dela, que em tudo o de que o encarregar me servirá com a mesma satisfação com que até agora o tem feito. Hei por bem e me praz de o aprovar e nomear, como pela presente o aprovo, e nomeio, por Capitão da dita Capitania do Espírito Santo, para que a sirva assim, e da maneira que a serviram os mais Capitães seus antecessores na forma das Doações do dito donatário, e isto enquanto eu o houver por bem, ou não mandar o contrário com a qual haverá o ordenado que lhe tocar que começará a vencer do dia que partir desta cidade para a dita Capitania, e que justificará nela pelos oficiais, e pessoas do navio em que for, e gozará de toas as honras, privilégios, liberdades, isenções, e franquezas, que por razão do dito cargo lhe pertencerem. Pelo que mando a pessoa que estiver servindo de Capitão da dita Capitania, e em sua falta aos oficiais da Câmara dela lhe deem a posse da dita Capitania, e lhe deixem servir na forma costumada aliás na forma referida, e a todos os oficiais da Justiça, guerra e fazenda dela, que em tudo cumpram seus mandados de palavra, e por escrito, e lhe obedeçam, como a seu Capitão mui pontualmente, e o dito Simão Carvalho antes que parta desta cidade fará em minhas mãos preito, e homenagem, e juramento na forma costumada, segundo uso costume destes Reinos, de que presentará Certidão do Secretário a que tocar, e por firmeza de tudo lhe mandei passar esta digo lhe mandei dar esta Carta por mim assinada, e selada do meu selo pendente, e pagará o novo Direito. Dada nesta Cidade de Lisboa aos dezessete dias do mês de Junho. Manoel de Oliveira a fez. Ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de mil seiscentos e cinquenta e um diz o emendado, e pagará. O Secretário Marcos Rodrigues Tinoco a fiz escrever. El-Rei. Carta Patente por que Vossa Magestade há por bem de aprovar, e nomear a Simeão Carvalho por Capitão da Capitania do Espírito Santo no Estado do Brasil pela nomeação que na forma das ordens de Vossa Majestade nele fez a Mãe do Donatário Antônio Luiz Coutinho da Câmara para a servir enquanto Vossa Majestade o houver por bem e não mandar o contrário, como nesta se declara. Para Vossa Majestade ver. Abaixo da firma Real está outra do Conde de Odemira. Por resolução de Sua Majestade de 10 de junho de mil seiscentos e cinquenta e um em consulta do Conselho Ultramarino de três do dito mês e ano. Diogo Furtado de Mendonça Deam de Lisboa. A fls. 126 do livro quarto das fianças, fica dado fiança a pagar o que deve de novos Direitos deste Cargo Lisboa vinte de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um. João Pinto. Henrique Correia da Silva. Fica assentada, e pagou duzentos reis. Janalves Soares. Pagou três mil e quinhentos, aliás pagou três mil e quatrocentos. Lisboa dezoito de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um, e aos Oficiais cento e vinte e quatro réis, e de minha parte nada. Gaspar Maldonado. Registrada na Chancelaria no livro de privilégios, ofícios e mercês, a fls. 351. Luiz Correia de Andrada. Registrada nos livros do Conselho Ultramarino a fls. 243. Marcos Rodrigues Tinoco. Registrada nos livros do Conselho digo registrada no livro 13 dos registros da Mina a fls. 315 em Lisboa vinte e um de Julho de mil seiscentos e cinquenta e um. Estevão Teixeira ……………………………. aos quatro dias do mês de Outubro de mil seiscentos e cinquenta e um nos paços da Ribeira desta cidade deu menagem nas mãos Reais de Sua Magestade Simeão Carvalho pela Capitania do Espírito Santo sendo presentes como testemunho o Conde da Feira, e Dom Miguel de Portugal, e eu Pedro Vieira da Silva do Conselho de Sua Magestade, e seu Secretário de Estado que a dita homenagem sobscrevi e assinei em Lisboa a 6 de Outubro de mil seiscentos e cinquenta e um. Pedro Vieira da Silva.

 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

//]]>