02/06/1662: Carta para o Capitão-mor da Capitania do Espirito Santo Diniz Lobo

02/06/1662: Carta para o Ouvidor da Capitania do Espirito Santo Pedro Corrêa do Couto
16/08/2018
26/02/1658: Carta para o Governador do Rio de Janeiro Thomé Corrêa de Alvarenga, para prender uns soldados que fugiram desta praça em um barco
23/08/2018
 

Recebi todas as Cartas que Vossa Mercê me escreveu nesta occasião ultima. E sendo a principal matéria dellas a acceitação do que tocou a esses moradores para o dote, e tributo; e a demora que nesse porto fez o navio Inglez; me pareceu dizer a Vossa Mercê que procedeu tão bem na primeira obrigação, como mal na segunda, porque depois de Vossa Mercê me haver dado conta de que ficava para despedir o navio, não podia haver razão alguma, que honestasse o deixal-o entrar, nem o exemplo do Rio era bastante desculpa de alterar a resolução do que me havia escripto.

Sobre os mais particulares, não respondo a Vossa Mercê porque lhe vae succeder o Capitão-mor José Rabello Leite, o qual leva outra carta por que levanto a Vossa Mercê a homenagem para lhe entregar a Capitania. E Vossa Mercê se virá descançar a sua casa donde entendi que poderia necessitar de sua presença a enfermidade da Senhora D. Antonia que me dizem se retirara a essa causa. E pela mesma quiz eu evitar o detrimento que Vossa Mercê podia padecer nessa occupação enviando-lhe successor a quem se tinha passado Patente tres dias antes que estas cartas de Vossa Mercê me chegassem. Mas segure-se Vossa Mercê que se desta parte houver cousa em que lhe possa divertir a ociosidade a hei de estimar, porque obrigado do animo que Vossa Mercê me mostrou, desejo ter occasião de o servir.

Guarde Deus a Vossa Mercê. Bahia e Junho 2 de 1662.

Francisco Barreto.

 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

//]]>