11/08/2016

Um Mapa do Mundo Inteiro Conforme o Método Tradicional de Ptolomeu e Corrigido com Outras Terras de Américo Vespúcio, de Martin Waldseemüller (1507)

O mapa-múndi de 1507, de Martin Waldseemüller, foi o primeiro mapa a retratar um hemisfério ocidental separado, tendo o Pacífico como um oceano também separado. O mapa evoluiu de um ambicioso projeto em St. Dié, França, durante o início da década de 1500, para documentar e atualizar novos conhecimentos geográficos derivados das explorações portuguesas e espanholas do final do século XV e início do século XVI. O mapa de Waldseemüller foi o produto mais interessante […]
12/08/2016

Descriptionis Ptolemaicae augmentum, de Corneille Wytfliet (1597)

Secretário do Conselho de Brabant (na Bélgica), Cornelis van Wytfliet faleceu em 1597, deixando como única obra conhecida as Descriptionis Ptolemaicae Augmentum, que assim denominou por ser uma ampliação da Geografia de Ptolomeu cobrindo as Américas, a parte do mundo que Ptolomeu desconhecia (embora não haja qualquer outra ligação entre as duas obras). Considerada o primeiro atlas das Américas, a obra de Cornelis compreende um mapa-múndi e 18 mapas regionais, todos especialmente gravados para essa […]
12/08/2016

Uma Descrição moderna e bastante precisa da América (ou a quarta parte do Mundo), de Diego Gutiérrez (1562)

Em 1554, Diego Gutiérrez foi nomeado o principal cosmógrafo do rei da Espanha na Casa de la Contratación. A coroa incumbiu a Casa de produzir um mapa do hemisfério ocidental em larga escala, frequentemente chamado de “a quarta parte do mundo.” O objetivo do mapa era confirmar o direito de posse da Espanha quanto aos novos territórios descobertos contra as reivindicações rivais de Portugal e da França. A Espanha reivindicou todas as terras ao sul […]
10/09/2016

Aldeamentos jesuítas na capitania do Espírito Santo: ocupação colonial e ressignificação da etnicidade indígena entre os séculos XVI e XVIII (Artigo)

Em 1549, os jesuítas, padres da Companhia de Jesus, desembarcaram na América Portuguesa. Eles chegaram com o primeiro Governador-geral, Tomé de Souza, ocupando papel importante na obra de redução indígena e, dois anos mais tarde, alcançaram o Espírito Santo. Com métodos muitas vezes brandos, os padres converteram um grande número de indígenas ao cristianismo, embrenharam-se pelos sertões – então só assinalados de forma imprecisa pela cartografia – com o intuito de conduzir os indígenas entendidos […]
21/10/2016

3 evidências históricas de que Maria Ortiz nunca existiu

Maria era filha de Juan Orty Y Ortiz e Carolina Darico, chegados à capitania do Espírito Santo em 1601, numa das imigrações promovidas por Felipe II, rei da Espanha, que na época dominava Portugal, após a passagem de Portugal e colônias para o domínio espanhol em 1581. Maria nasceu dois anos depois, em 14 de setembro de 1603, na vila de Nossa Senhora da Vitória – hoje a cidade de Vitória. Divulgada em diversos meios, inclusive […]
25/10/2016

A capitania do Espírito Santo e as disputas pela região da Serra das Esmeraldas – Século XVII (Artigo)

Fabio Paiva Reis RESUMO O objetivo deste trabalho é analisar o papel do mito da Serra das Esmeraldas na Capitania do Espírito Santo seiscentista nas disputas políticas, administrativas e territoriais da América portuguesa do século XVII. Acreditamos que será possível compreender o processo de valorização do Espírito Santo no período colonial – entre as primeiras notícias das riquezas no interior, em fins do século XVI, até a criação da Capitania de São Paulo e Minas […]
//]]>