Tese de doutorado sobre cartografia histórica do Espírito Santo será defendida na Universidade do Minho

Saiba mais sobre o projeto do Spirito Sancto aprovado no Funcultura 2016, da Secult-ES
16/12/2016
Tese de Fabio Paiva Reis, sobre cartografia histórica do Espírito Santo, está disponível online
21/06/2017
Exibir tudo

Tese de doutorado sobre cartografia histórica do Espírito Santo será defendida na Universidade do Minho

 

No dia 14 de fevereiro, terça-feira que vem, defenderei minha de na , em Braga, . Aluno do doutoramento em , na especialidade de dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa, ingressei no programa da universidade portuguesa no final do ano de 2011 com o objetivo de estudar mapas históricos do nosso estado.

Com a tese intitulada As representações cartográficas da Capitania do no século XVII e sob a orientação do professor António Manuel Clemente Lázaro, tive como objetivo apresentar e analisar, pela primeira vez, os mais antigos mapas da Capitania do Espírito Santo, desde o mais antigo, feito por Luís Teixeira, ca. 1586, até o mapa presente no Zee-Atlas, holandês, ca. 1680.

Entre as questões principais que orientaram esta investigação estão:

  • Qual era a importância da no império português moderno?
  • Como se deu o reconhecimento e mapeamento da costa do Brasil e da capitania do Espírito Santo nos séculos XVI e XVII?
  • O que se sabia sobre a capitania então?
  • Como portugueses, holandeses e europeus em geral enxergavam o Espírito Santo?

A dissertação é dividida em cinco capítulos:

  1. O primeiro discute a evolução da cartografia moderna e sua importância no descobrimento e reconhecimento da América portuguesa.
  2. O segundo capítulo apresenta os mapas mais antigos da Capitania do Espírito Santo, no contexto da União Ibérica e valorização do Brasil dentro do império português.
  3. O capítulo três explora lendas coloniais e a presença religiosa no Espírito Santo nos mais importantes atlas do cosmógrafo João Teixeira Albernas I.
  4. No quarto são apresentados os mapas que concluíram o mapeamento de toda a costa do Espírito Santo, em um período de Restauração portuguesa.
  5. O último capítulo explora os atlas de Albernas II e apresenta os resultados dessa campanha de mapeamento do Espírito Santo que durou cerca de um século.

Aproveito para já deixar meus agradecimentos a todos aqueles que estiveram comigo, de alguma forma, nos últimos anos, e acompanharam minha saga para pesquisar, analisar e escrever esta tese, que eu acredito que será importante para todos os pesquisadores interessados na história do Espírito Santo colonial. Agradeço principalmente:

  • Ao meu orientador, António Manuel Clemente Lázaro, por todo o interesse e apoio antes mesmo de me candidatar ao doutoramento, mas principalmente durante o curso.
  • Aos meus pais, cujo apoio e ajuda foram essenciais durante minha estadia em Portugal, e ao meu irmão e minha cunhada.
  • À minha esposa, que me pediu em casamento quando morávamos em países diferentes e que esteve ao meu lado durante toda a produção da dissertação.
  • Aos meus sogros, meu cunhado e concunhada, pela amizade, apoio e tudo o mais.
  • A Diogo Pasuch, Sergio Denicoli e Miguel Gravato, amigos e colegas da universidade com quem tive o prazer de dividir o apartamento e o dia a dia enquanto morei em Braga e com quem discuti sobre minha dissertação diversas vezes.
  • Aos demais amigos brasileiros e portugueses que conheci durante essa experiência única: Alexandre Almeida, Raphael Marinho, Mário Camarão, Marília França; Marina Denicoli, Carlos Alberto Tourinho, Ana Carmen e suas filhas Mariana e Clara, Chalini Barros, Odete Almerinda, Carla Gomes, Júlia Lemos e Paulo Alves.
  • Aos professores Francisco Mendes e Helena Carvalho, da Universidade do Minho, e João Carlos Garcia, da Universidade do Porto, que me receberam com carinho, me convidaram para participar de bons momentos e fizeram com que eu me sentisse acolhido tão distante de casa.
  • Aos colegas do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, que me incentivaram desde o começo da pesquisa e abriram as portas para diversas oportunidades nos últimos anos.
  • Aos amigos da graduação e do mestrado Francesco Suanno Neto, Luciana Silveira, Tiago Onofre, Karulliny Siqueira, Carol Soares, Bebel Medal, Rafael Dias, Marcelo Fonseca e Cícero Barbosa, com quem tive bons momentos e boas conversas de lá para cá.
  • Aos velhos amigos, do dia a dia, pela companhia: Eder Benevides, Mariana Nascimento, Udayam Bassul, Eder Sallez e muitos mais.

Informações sobre a da tese:

Doutorando:
Tese de Doutorado: As representações cartográficas da Capitania do Espírito Santo no século XVII
Instituição: Universidade do Minho
Data: 14/02/2017
Horário: 14:30
Local: Auditório da Universidade do Minho, Braga, Portugal

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

//]]>